sem-titulo-1
Convidamos para culto de celebração dos 10 anos da exposição itinerante Nem tão Doce Lar (NTDL), no dia 7 de dezembro, na Igreja da Reconciliação, da Paróquia Matriz/Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil.
Durante esses 10 anos, em parceria com diferentes universidades, escolas, organizações confessionais, organizações públicas e da sociedade civil, a Nem tão Doce Lar promoveu a discussão e o enfrentamento da violência familiar e de gênero, com ênfase na violência contra mulheres e meninas.
Celebraremos e agradeceremos parceiras e parceiros que estiveram conosco durante esse tempo, e que continuarão atuando pela superação de todas as violências.
Contamos com a sua presença!

Escrevendo histórias de vidas de mulheres

Entre risos e lágrimas, dia 30 de outubro de 2016, 18 mulheres de Sertão Santana, Cerro Grande do Sul, Tapes e Barra do Ribeiro narraram suas histórias de vida, coletadas e/ou escritas durante os meses de outubro e novembro de 2016. Cada história narrada trouxe suas peculiaridades. Muitas delas não conseguiram dar continuidade aos seus estudos por falta de oportunidade ou de recursos para continuar estudando ou por ter que trabalhar para ajudar no sustento da família. Compartilharam sobre sua contribuição na edificação de comunidades, da importância da vida de fé, especialmente nos momentos difíceis da vida, entre outros aspectos que poderão ser conhecidos quando suas histórias forem compartilhadas no Portal Luteranos (http://www.luteranos.com.br/textos/em-comunhao-com-as-vidas-das-mulheres).

Esse trabalho de registro de histórias de vidas de mulheres é parte do curso “Como coletar e narrar histórias de vida: subsídios metodológicos, assessorado pelo Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST. Na primeira etapa do curso, realizada no dia 01 de outubro, como motivação para que as mulheres valorizem sua própria história e compreendam a importância de escrevê-la, o grupo conheceu a história de uma mulher, integrante do movimento da Reforma, denominada “Katharina von Bora”. Também refletiu sobre aspectos importantes a serem considerados na hora de escrever a própria história ou de coletar histórias de mulheres da comunidade, entre eles, o uso da linguagem inclusiva de gênero, registro da contribuição da narradora na igreja e na sociedade, dar visibilidade aos nomes de mulheres que são mencionadas na sua história, entre outros. Além disso, na primeira etapa o grupo refletiu sobre o texto bíblico de Marcos 14.9 que fundamenta a Campanha em Comunhão com as Vidas das Mulheres, realizada pela Igreja Evangélica de Confissão Luterana (coordenação de gênero, etnias e gerações) em parceria com o Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST, com objetivo de resgatar as histórias de mulheres, que fizeram e fazem a história da Igreja, colocando suas vidas, seus dons e suas habilidades a serviço do Evangelho; registrar suas vidas, seus feitos, seus ensinamentos. Na segunda etapa do curso, mulheres narraram as histórias coletadas, tendo também a oportunidade de dialogar sobre as histórias e de aperfeiçoá-las antes da publicação no Portal Luteranos.

O curso foi realizado na Casa da Juventude em Sertão Santana, contando com o apoio da pastora Carina Inês Schmidt da Paróquia Evangélica de Sertão Santana, da Diaconisa Isolete Marcia Follmer da Paróquia da Paz de Cerro Grande do Sul e da Pastora Margarete Witter da Paróquia Deus Conosco de Sertão Santana. O curso foi assessorado pela Pastora Marli Brun, integrante do Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST. Contribuíram também na realização do curso a Pastora Débora Bayer Seixas e a Estudante de Teologia Cristina Weber, ambas oriundas do município de Sertão Santana. Agradecimento as Paróquias pela parceria na realização do evento.

Segue abaixo algumas fotos:

Fotos: Cristina Weber.

Apresentação da Cartilha “Mulheres com Deficiência – Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos” à Procuradoria da Mulher da ALERGS

Na última terça feira, 29 de novembro aconteceu a apresentação do filme “Carol” e da Cartilha “Mulheres com Deficiência – Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos” na sala Adão Pretto da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.

O filme “Carol”, dirigido por Mirela Kruel, conta a história de vida de Carolina Santos, ou Carol, como é mais conhecida, coordenadora do Grupo Inclusivass e integrante do comitê do Observatório da Violência Obstétrica no Brasil.

A Cartilha “Mulheres com Deficiência – Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos” traz informações sobre o que é e quais são os tipos de deficiência, e como se dá a interseção com a violência de gênero, diversidade sexual e religiosa, direitos sexuais, direitos reprodutivos, direito de atenção à saúde, além de trazer uma lista de telefones e endereços úteis das redes de atendimento.

O evento foi uma promoção do Grupo Inclusivass, Coletivo Feminino Plural, HeforShe, e Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa do RS e teve também o Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST como parceiro para a realização de ambos projetos.

 

15272139_679799572187734_3566245788506528416_o

Mulheres negras compartilhando histórias nos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

No dia 25 de novembro de 2016, aconteceu o seminário pelos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da violência contra as Mulheres. O seminário foi uma parceria do Programa de Gênero e Religião com o grupo Identidade da Faculdades EST. Estavam presentes, para compartilha das suas histórias, Mariglei Dias, representante do Quilombo da Xirca do Rosário do Sul, Aline Oliveira Gomes e Jouse Orguim Gomes representando o Quilombo do Limoeiro Palmares do Sul. Assim como outras mulheres que contribuíram para um rico debate.

A Profa. Ms. Márcia Blasi, responsável pelo PGR (Programa de Gênero e Religião) deu início as atividades dando as boas vindas à todos e todas e em seguida passou a palavra para Profa.  Ma. Selenir Corrêa Gonçalves Kronbauer  responsável pelo grupo Identidade que, conduziu o debate entre as pessoas presentes. As representantes dos Quilombos apresentaram suas comunidades e contaram de suas lutas por dignidade às pessoas dali. Muitas conquistas já tiveram, e muitas ainda precisam alcançar para que possam viver de forma digna.

 Foi apresentada a urna onde estão sendo coletadas histórias de mulheres que viveram ou presenciaram violência. Sendo motivadas e motivados a escreverem situações em que presenciaram algum tipo de violência contra mulheres. Durante o seminário, foram debatidos temas como desigualdade social, racismo, violência contra mulheres que mais ainda acontecem contra mulheres negras. O maior desafio é acabar com as diversas violências, inclusive a da discriminação, que faz com que as mulheres não se sintam sujeitas de direitos.

Segue abaixo algumas fotos:

 

 

Gênero e sexualidade nas relações de trabalho – CURSO DE EXTENSÃO

Nos dias 10 e 11 de novembro de 2016, aconteceu na Faculdades EST  o Curso de Extensão “ Gênero e sexualidade no trabalho com adolescente em situação de vulnerabilidade social”, ministrado pela professora Drª Jane Felipe, da UFRGS, e pelo professor Dr André Musskopf, da EST. O curso foi realizado em pareceria com o Círculo Operário Leopoldense ( COL ),  com o objetivo capacitar profissionais que atuam com adolescentes nas áreas de gênero e sexualidade para uma atuação qualificada e coerente com os direitos humanos. A participação da totalidade do público foi bastante significativa, apontando, mais uma vez, como é importante tratarmos deste assunto. Outras instituições que tiverem interesse por este curso, podem contatar-nos pelo email: gênero@est.edu.br

Ana Luiza Julio

Assessora de Projeto

TSSRD

 

img_2926 img_2928